FAQ – Perguntas e Respostas do Facebook e Whatsapp

Tempo de leitura: 12 minutos

Pergunta 1: Quantas vezes posso tomar café com manteiga no jejum?

O nosso objetivo é fazer o jejum sem nenhuma refeição durante o jejum e sem usar café com manteiga e óleo de côco. Esse é o ideal.
Mas para as pessoas que sentirem muita fome e não conseguirem fazer logo de cara, pode utilizar este café no período de jejum, somente no começo. Já na janela da alimentação pode ser utilizado sem problemas. Obviamente que você não deve tomar um café deste de hora em hora, mas umas duas vezes no dia está ok.

Pergunta 2: Café com manteiga quebra jejum?

Apesar dele não aumentar a glicose no sangue e manter grande parte dos benefícios do jejum, pela quantidade de gordura ele se torna um alimento. Então seu corpo tende a preferir utilizar a gordura circulante disponível ao invés de ter o trabalho de retirar gordura estocada no tecido adiposo. Desta forma, quebra sim porque é um alimento que fornece energia. Ele deve ser utilizado no período de jejum como uma ferramenta para conseguir adaptação ao jejum. Já na janela da alimentação pode ser utilizado sem problemas.

Além disso, mesmo que ele quebre o jejum, ele não corta um dos melhores efeitos do jejum que é diminuir o nível de insulina. Esse café tem um efeito desprezível no estímulo de produção de insulina.

Ele tem as seguintes características que não cortam totalmente o efeito do jejum.

  1. A manteiga tem gordura de cadeia longa, ou seja, é um tipo de gordura que leva mais tempo para ser absorvida pelo organismo e ser transformada em energia.
  2. O óleo de côco tem triglicerídeos de cadeia média, ou seja, é um tipo de gordura que provê energia bem rápido.
  3. O café é um estimulante.
  4. Os três juntos fazem uma combinação muito boa de estímulo com energia rápida mais energia de longa duração. Por isso você vai ficar bastante tempo sem sentir fome.

Pergunta 3: Preciso comer carne?

Nesta alimentação que estamos seguindo, você não é obrigado a comer carne vermelha. Você pode comer carne branca, ovos e queijo que são fontes de proteína também. Entretanto a filosofia básica sugere que carne e gordura são os alimentos que nós seres humanos estamos consumindo a mais de 2 milhões de anos, principalmente no paleolítico e antes da agricultura, quando ainda não era comum consumir grãos. Além disso se você reparar na sua arcada dentária, você vai perceber que você tem caninos. Os caninos são característicos de animais que comem carne. Nós somos onívoros por natureza, assim como os ursos, desta forma, nosso organismo está adaptado para comer carne e também vegetais.

 

Pergunta 4: Pão de queijo pode?

A medida que seu conhecimento for aumentando espero que este tipo de pergunta do que seja menos frequente. A pergunta mais correta seria algo do tipo: Pão de queijo contém amido? A resposta seria: sim.

Aí você poderia perguntar o seguinte? Este amido é de baixo índice glicêmico ou de alto índice glicêmico? Eu responderia: de alto índice glicêmico.

Então você já pode concluir que não DEVE. Pão de queijo está fora da nossa alimentação. Embora queijo seja bem vindo, o polvilho que é um amido não é porque ele é convertido em glicose, aumentando o nível de insulina.

Pergunta 5: Aeróbico em jejum pode?

Pode. Mas é preciso estar com o “motor” do corpo adaptado para funcionar a álcool (gordura) e não somente na gasolina (carboidrato). A grande maioria das pessoas funciona à gasolina (carboidrato). Se você passar a abastecer com álcool (gordura) o corpo vai precisar de um tempo para se adaptar para utilizar esta gordura como nova fonte de energia. Por isso sugerimos que você comece primeiro fazendo, pelo menos, duas semanas de low carb (alimentação baixa em carboidrato) para depois começar o jejum e depois de pelo menos uma ou duas semanas (dependendo do tipo de atividade física) para começar a fazer o exercício em jejum total jejum.  Na era paleolítica quando íamos caçar isso exigia grande esforço e normalmente não estávamos de barriga cheia quando caçávamos. Então nosso corpo tem essa capacidade. Além disso, se você comer uma comida sólida, ela estará disponível como fonte de energia em cerca de 2 horas ou mais, dependendo da quantidade, do organismo e do tipo de comida. Então não adianta comer uma hora antes de ir para o treino. Se for uma bebida líquida, ok.

 

Pergunta 10 – Esfriar o arroz e esquentar faz ele se tornar de baixo índice glicêmico?

Essa sua pergunta está relacionada com o seguinte assunto: Amido Resistente.
O que é um amido? Para simplificar podemos entender o amido como sendo uma composição de moléculas de glicose, ou seja, amido = açúcar.
Consumir amido é a mesma coisa que consumir glicose, então isso aumenta a glicose e a insulina. Com já disse anteriormente, não é isso que queremos. O que queremos é evitar os picos de glicose no sangue.
1) Amido resistente é um amido que resiste à digestão. Não quer dizer que é um pouco mais difícil de digerir. Nem que é absorvido mais lentamente. Nem que é um “carboidrato complexo”. Quer dizer que RESISTE à digestão. Simplesmente não é digerido, seu impacto na glicemia é zero. Não conta como carboidrato para todos os efeitos. Seu comportamento é o mesmo de uma fibra alimentar.
2) Amido resistente não é o mesmo que “amidos seguros” (“safe starches”). Amidos seguros é um conceito criado por Paul Jaminet, autor do excelente Perfect Health Diet, e significa amidos que não são tóxicos (exemplo de um amido tóxico é a farinha de trigo). Exemplo de um amido “seguro” seria a batata doce, ou o arroz branco. Amidos seguros não são tóxicos, mas elevam a glicose no sangue e elevam a insulina. Amido resistente NÃO eleva em NADA a insulina.
3) Amido resistente (em sua forma pura) não afeta em NADA a glicemia. Amido nada mais é do que um polímero de glicose. Na sua forma mais comum (o amido dos grãos cereais, por exemplo), é uma forma altamente eficaz de elevar o açúcar no sangue (mais do que comer açúcar diretamente de um açucareiro). Mas o fato de ser feito de açúcar não quer dizer muita coisa. Madeira é feita de celulose. Celulose é um polímero de açúcar, da mesma forma que o amido. A diferença é a estrutura química desse polímero. Se você comer serragem (celulose), isso não irá afetar sua glicemia. Pense no amido resistente das mesma forma: amido em uma forma química que o torna não digerível.
4) O amido resistente não interfere com dietas cetogênicas. De acordo com os relatos de várias pessoas na “blogosfera”, o consumo de amido resistente puro não interfere de forma significativa com a cetose, nas pessoas que precisam ou desejam fazer uma dieta cetogênica. Mais uma prova de que realmente não é digerido, visto que só olhar para um quindim é capaz de retirar alguém do estado de cetose nutricional.
5) Amido resistente é facilmente digerível pelas bactérias do cólon. Embora nós não tenhamos enzimas capazes de digerir o amido resistente, as bactérias colônicas têm. O amido resistente funciona literalmente como uma “ração” para a flora intestinal.
6) O amido resistente alimenta seletivamente a flora intestinal saudável, anti-inflamatória e anti-obesogênica. Ao contrário do que acontece com os carboidratos densos acelulares (açúcar e farinha), que estimulam uma flora altamente inflamatória, indutora de síndrome metabólica e obesidade.
Há 4 tipos de amido resistente:
  • Tipo 1 – presente e sementes, grãos integrais e leguminosas, resiste à digestão por estar fisicamente protegido por paredes celulares fibrosas. Menos útil devido à toxicidade de suas fontes principais;
  • Tipo 2 – Encontrado em alguns alimentos tais como batata crua ou banana verde;
  • Tipo 3 – Chamado amido retrógrado, forma-se quando o amido é aquecido e depois resfriado (acontece com batatas e arroz, por exemplo)
  • Tipo 4 – são amidos resistentes artificiais (industriais).
  • O tipo 2 é a principal fonte para suplementação.
O que acontece é que as pessoas estão confundindo, achando que o fato de resfriar e esquentar o arroz tornaria ele todo amido resistente. Isso não funciona assim.
Vamos supor que eu aqueça uma batata para fazer um purê – isso deixa somente amido comum ali, sem amido resistente. Mas se eu resfriar esse purê na geladeira de um dia para o outro e reaquecer esse purê no outro dia, uma parte do amido se transformará em amido resistente novamente. Mas é somente um pequeno percentual. A grande maioria da batata que foi aquecida será amido comum para o resto da vida. Então, resfriar uma batata assada para comê-la de novo no outro dia para consumir amido resistente é uma estratégia que só é válida para as pessoas que não estão fazendo uma restrição de carboidrato na dieta. Se a pessoa está na fase 3 do desafio Master, já perdeu peso, está só mantendo e gosta de comer batata. Essa pessoa quer comer a batata e obter o benefício do amido resistente. Ela pode assar a batata, resfria-la e reaquece-la no outro dia para ter uma quantidade pequena de amido resistente que será boa para o intestino. Essa batata elevará a glicemia e insulina, mas se a pessoa não tem pré-diabetes e excesso de peso, ela pode comer uma batata se quiser. A tática de resfriar um alimento e aquecer de novo para formar amido resistente não torna o alimento low-carb. Se eu fizer arroz da forma tradicional, congelá-lo e reaquece-lo, ele terá um pouco de amido resistente, que será bom para meu intestino. Mas o arroz será high-carb, elevará minha glicemia e minha insulina. Não existe arroz ou batata low-carb. O que existe é fécula de batata crua que passa a ser low-carb porque nunca foi aquecida e é praticamente 100% amido resistente.
Eu particularmente ainda não testei o uso de amido resistente. Acho que essa será meu próximo teste.
Parte deste texto foi retirado do blog do Dr. Souto.
Referências:

 

Pergunta 12 – Tapioca e cuscuz pode no café da manhã? Não como mais pão, mas como cuscuz ou tapioca.

O pão tem três problemas o glúten a amilopectina e os demais carboidratos. Quando você deixa de comer pão para comer tapioca, você está eliminando um dos três apenas. É como se deixasse de fumar cigarro sem filtro para outro com filtro. Ou seja é menos pior comer tapioca e cuscuz. Mas seria muito melhor para fins de emagrecimento não comer. Ao contrário do que se pensa de manhã não se deve comer carboidrato. Porque produz um pico de glicose no sangue e com isso induz a maior vontade de comer carboidratos durante o dia. Eu aconselho comer omelete de manhã. O ovo é um excelente alimento.

 

Pergunta 13 – O que usar para fadiga muscular?

Em primeiro lugar é muito complicado responder esta pergunta, porque exige uma investigação da causa da fadiga muscular. Só então seria possível responder corretamente.  Mas vou entender, que você tem um estilo de vida equilibrado com uma boa alimentação, bom sono, etc. E que na verdade você está perguntando: qual suplemento posso tomar para ajudar na fadiga muscular.

Bom mesmo assim, isso pode variar muito, mas em geral esta combinação ajuda: Glutamina + BCAA + Multivitamínico.
A glutamina é um aminoácido cuja a principal função é a manutenção do sistema imunológico, principalmente através da ação reparadora no intestino. Entretanto, tem outras funções adjacentes como controle do catabolismo muscular, facilita a absorção muscular de nutrientes por aumentar a capacidade da absorção de água.
Para a finalidade específica de fadiga muscular gerada por uma grande carga de execícios é mais indicado o BCAA. A principal função dele é evitar o catabolismo e suportar a recuperação das fibras musculares.

Se você tem alguma pergunta, faça nos comentários que eu vou criar um novo item respondendo sua pergunta.

 

6 Comentários

  1. Maria Célia

    Boa noite! queria saber se no período do Jejum Intermitente, posso continuar tomando as minhas vitaminas. Na verdade é aquele complexo vitamínico de “A a Z” Centrum.
    Grata

    Responder
  2. Fabiana Morais dos Santos

    Bom dia gostaria de saber se durante o jejum intermitente eu posso fumar,e se posso tb tomar um suco detox natural feito com melão,hortela,limão e água,sem açucar ???

    Responder

    1. Bom dia! Apesar do jejum não definir se você deve ou não fumar, pessoalmente diria que se você está mudando hábitos e nunca fez o jejum, melhor não parar de fumar junto. Mude uma coisa de cada vez. Lógico que seria melhor não fumar, mas pra maioria das pessoas isso vai deixar mais difícil ainda.
      O suco, durante o período de jejum, não pode.

      Responder
  3. Mari

    Gostaria de saber se na janela do jejum posso tomar café com leite e comer coco.estou fazendo o jejum de 16 por 8 a um mês e perdi 5k

    Responder

    1. O nosso objetivo é fazer o jejum sem nenhuma refeição durante o jejum e sem usar café com manteita e óleo de côco. Esse é o ideal.
      Mas para as pessoas que sentirem muita fome e não conseguirem fazer logo de cara, pode utilizar este café somente no começo. Apesar dele tecnicamente quebrar o jejum (ele alimenta), para os fins que estamos buscando que é emagrecer, ela não não vai atrapalhar. Ele tem as seguintes características:

      1. A manteiga tem gordura de cadeia longa, ou seja, é um tipo de gordura que leva mais tempo para ser absorvida pelo organismo e ser transformada em energia.
      2. O óleo de côco tem triglicerídeos de cadeia média, ou seja, tem um tipo que provê energia bem rápido.
      3. O café é um etimulante.
      4. Os três juntos fazem uma combinação muito boa de estímulo com energia rápida mais energia de longa duração. Por isso você vai ficar bastante tempo sem sentir fome.

      Responder

Deixe uma resposta